Pesquisar este blog

domingo, 14 de outubro de 2007

BIOGRAFIA DE PATRICIA MARX







Aos seis anos, a menina Patricia via pela TV nos programas de calouros as pessoas se apresentarem cantando e dublando e pediu ao pai pra leva-la, pois também queria se apresentar. O pai acabou concordando e desde então, Patricia conquistou o público, sempre ganhando vários prêmios em programas como Chacrinha e Silvio Santos. A jurada exigente Aracy de Almeida chegou a exclamar com surpresa: "É um talento!". Depois de ficar entre as finalistas de um festival infantil do SBT, Patricia foi convidada pra participar com o menino Luciano do projeto "Clube da criança", que revelou Xuxa, Sérgio Mallandro, entre outros. O sucesso veio rápido com "É de chocolate", que vendeu 300.000 cópias e motivou a gravadora a investir nas crianças, que com a adição de Juninho Bill, virou Trem da Alegria. Daí em diante, foram vários hits ("Uni-duni-tê", "Dona felicidade", "He-man", "Fera neném", "Thundercats", etc...) que até hoje são lembrados com carinho pela galera da faixa dos 30 anos. O terceiro disco chegou a vender mais de Um milhão de cópias. Era o auge do sucesso, porém Patricia não se acomodou e aos 13 anos, resolveu seguir carreira solo.
Para isso, porém, tiveram que remar contra maré. Não era comum investir em cantoras dessa idade e a gravadora queria guarda-la pra mais tarde. Até os pais achavam melhor que a menina se dedicasse aos estudos e voltasse depois. O produtor Michael Sullivan acreditava na menina e em seu talento. O disco "Patricia, Paty", saiu em 1987 e de cara emplacou um hit na novela Bambolê, "Festa do amor". A música foi uma das mais tocadas do ano e os críticos abriram o olho para o seu talento, chegando a ganhar matérias de capa na Veja SP e no Estado de São Paulo. O crítico Luiz Antonio Giron escreveu: "Estrelas como ela só surgem de dez em dez anos" e "Elis também começou assim". O disco vendeu mais de 350.000 cópias e garantiu outro sucesso: "Te cuida meu bem". Em 88, o segundo disco, "Patricia" emplacou os sucessos "Certo ou errado", "Cedo demais" e "Doçura" e outro tema de novela ("Amor é sempre amor") e continuou emplacando em todo o Brasil. Determinada a oferecer qualidade aos fãs, montou sua própria banda e aos 14 anos, já cantava ao vivo em shows por todo o Brasil. Patricia, porém, estava crescendo e queria sair da mesmice musical. Aos 16 anos, já apontava mudanças no terceiro disco, "Incertezas", onde ousou a gravar com nomes do rock (Engenheiros do Havaí) e do soul (Ed Motta), mas os sucessos foram as românticas "Sonho de amor" e "Destino". Já querendo partir para os lados do dance, fez um clip do remix de "Um ano eu sei", sua estréia na MTV.
Aos 18 anos, Patricia deu sua primeira grande guinada ao receber um convite de um produtor japonês, Marmoru Oxima para lançar um CD no Japão, intitulado "Neoclássico", onde regravava clássicos da MPB e bossa nova. Nesse ano, fez várias experimentações cantando blues em shows em são Paulo, ou cantando covers mais adultos nos shows. Logo depois, procurou o renomado produtor Nelson Motta e convenceu-o a produzir o disco que marcaria sua virada musical. Ele gostou do que ouviu e assinou com ela para ser o primeiro lançamento de sua nova gravadora, a Lux Music.
Em 1994, surgia uma nova Patricia aos olhos do público, com novo nome (PATRICIA MARX), novo visual (cabelos mais curtos e ruivos), novo estilo (dance music). Ela lançou o CD "Ficar com você", que estourou em todo o Brasil e trouxe-a de volta às paradas depois de três anos. A Música "Quando chove" entrou na novela "A viagem" e logo era uma das mais executadas do país. A dançante "Ficar com você"ganhou clip filmado em Nova York e invadiu as rádios e caiu na boca do povo.
Em 96, Patricia lançou o mais maduro "Quero mais", com mais músicas inéditas, lançando novos compositores que estourariam nos anos seguinte como Jorge Vercilo e Max de Castro. É um dos discos mais elogiados de sua carreira e estourou com "Espelhos d'agua", tema da novela "Malhação" e "Sei que você não vai", e Patricia concorreu como melhor cantora no Prêmio Sharp, com cantoras consagradas como Rita Lee e Marina Lima.
Em 98, Patricia misturava bossa nova, rock dos anos 80 e eletrônica no à frente do seu tempo "Charme do mundo". Dirigida por João Marcelo Bôscoli e Max de Castro, o disco dividiu opiniões da crítica e não atingiu o sucesso esperado, mas no futuro, o estilo acabou sendo adotado com sucesso por outras cantoras como Bebel Gilberto.
Procurando se reciclar, Patricia se afastou da mídia, conheceu e se casou com Bruno E, DJ da noite paulistana, teve um filho, Arthur e parou para respirar.
Em 2002, Nova guinada:  Agora adepta da filosofia budista e totalmente eletrônica, Patricia voltou com o CD "Respirar". Dessa vez, atacava também de compositora em músicas que falavam sobre maternidade ("Chegou" e "Submerso"), filosofia budista ("Despertar") e amor ("Demais pra esquecer" e "Sem pensar"). Com o álbum , Patricia fez várias turnês na Europa com outros integrantes da Gravadora Trama e chegou a morar lá durante dois anos fazendo shows.
O sucesso foi tanto que seu novo disco foi lançado primeiro no exterior, "Patricia Marx" e recebeu críticas que a comparavam com nomes como Lauryn Hill e Erika Baduh. Músicas como "Menino", "Burning luv" e "Sentido" mostram sua maturidade como compositora e produtora.
Entre 2006 e 2007, fez shows cantando  canções de duas divas da música: "Tributo a Elizeth Cardoso e Billie Holliday", recebendo vários elogios da crítica. Em 2011, lançou o álbum "Patricia Marx & Bruno E.", um projeto buscando as raizes da MPB, com elementos acústicos e se afastando um pouco da musica eletrônica. 

Em 2013 completando 30 anos de carreira, ela lançou pelo selo LAB 344 , CD e DVD comemorativos com seus grandes sucessos e inéditas em roupagem neo-soul, "Trinta" (CD com participações de Seu Jorge e Ed Motta) e "Trinta ao Vivo (DVD), voltando às rádios com a nova versão de "Espelhos D'agua, em dueto com Seu
Jorge e reaparecendo bastante em programas de TV. Após lançar um EP dando continuidade ao projeto "Trinta", com novas versões para "Te Cuida Meu Bem" e "Destino", ela está preparando novo EP a ser financiado pela plataforma Kickante com a ajuda dos fãs. Entre as músicas, estão previstas uma nova versão para "Miragem Viagem", que a cantora gravou em 1986 no disco Xou da Xuxa e regravações de "Tigresa" e "Tapete Mágico", conhecidas na voz de Gal Costa.



Nenhum comentário: